5 Perguntas para Wilson Cardoso, Chief Solutions Officer na Nokia




Meu papo hoje para a série "5 Perguntas sobre o Futuro" é com o Wilson Cardoso, Chief Solutions Officer na Nokia.


Eu e o Wilson trabalhamos juntos na Nokia e vimos a ascensão e queda da divisão de telefonia móvel da gigante finlandesa que dominava 40% do mercado há 10 anos.


Neste papo, falamos de temas bem bacanas.


Dá uma olhada:


- Os aprendizados da Nokia por conta de tudo o que aconteceu no mercado de telefonia móvel.


- Os negócios da Nokia hoje em dia.


- As tendências em tecnologia nos próximos anos.


- Visão da Nokia para os próximos anos.


1) Wilson, nós trabalhamos juntos na Nokia. Pelo fato da divisão mobile ter sido vendida para a Microsoft há alguns anos, muita gente acha que a Nokia acabou. Poderia compartilhar com a gente o que a Nokia faz hoje, quais são seus negócios e seu foco no mundo da tecnologia?


A Nokia hoje tem como slogan “ Criamos a Tecnologia para conectar o mundo “, ou seja deixamos a área de aparelhos de celulares e nos focamos em infraestrutura de telecomunicações, redes de banda larga fixa e móvel, redes IP, plataformas de controle de rede, plataformas de gestão de dados, sistemas de segurança de rede.


2) Quais aprendizados que a Nokia teve após toda a reviravolta que aconteceu com o mercado de telefonia móvel com a ascensão do Iphone?


O nosso Chairman Risto Siilasmaa no livro “The Power of Paranoid Optimism to Lead Through Colossal Change“ descreve bem o que acontecia:


“Quando entrei para o conselho de administração da Nokia em 2008, uma reunião típica com a alta gerência foi assim:


A equipe de liderança apresentou sua análise de um problema e uma única solução, que já estava sendo executada.


O conselho o apoiou. E seguimos para o próximo item da agenda.


Não havia motivo para debater ou mesmo questionar a estratégia proposta porque, afinal, a Nokia detinha mais da metade do mercado global de smartphones e comandava 40% do mercado de telefonia móvel.


Quem argumentaria com esse tipo de sucesso?”