5 perguntas sobre o futuro para Noelia Cordero, RH para Américas da Nokia



Iniciamos na semana passada a 4a temporada do nosso "5 perguntas sobre o futuro" com um papo incrível com o José Renato Rodrigues, VP Corporativo e de RH da CTG Brasil. Hoje, temos a oportunidade de conhecer as visões e insights da Noelia Cordero, RH da Nokia para a América do Norte e América do Sul.


A Noelia e tem uma longa experiência na Nokia, liderando ações de RH em diferentes países e em outras grandes organizações como PwC e Parker. Tivemos a oportunidade de atuar juntos no RH na época que trabalhava Nokia.


Muita gente pode estar se perguntando: "Ué, mas a Nokia não acabou?". Na verdade, a Nokia sempre teve duas divisões. A mais conhecida delas era a divisão "mobile" - cujos produtos eram dominantes no mercado até a chegada do iPhone. Essa divisão é que acabou sendo vendida para a Microsoft há alguns anos.


A outra divisão, não tão conhecida pelo grande público, era a divisão "Networks" - provendo novas tecnologias e serviços para as operadoras de telefonia. Um exemplo desse tipo de trabalho na atualidade é o desenvolvimento da tecnologia 5G que vai revolucionar a transmissão de dados nos próximos anos.


Há alguns meses, bati um papo com o WIlson Cardoso, Chief Solutions Officer da Nokia, sobre todos os aprendizados da Nokia durante esse processo de transformação.


Voltando ao papo com a Noelia Cordero, nessa conversa recheada de insights falamos sobre:


  1. O futuro do trabalho e as competências que os profissionais precisarão desenvolver nos próximos anos.

  2. Como a Nokia está preparando suas equipes para esse futuro.

  3. O papel dos Executivos e Líderes nesse processo.

  4. A visão da Noelia obre o futuro do RH.

  5. E as competências do futuro para o RH.


Vamos lá? Confira o resultado desse papo abaixo:


1. Noelia, na sua opinião, como será o futuro do trabalho e quais são as 5 principais competências que as pessoas devem desenvolver nos próximos anos?


É muito difícil fazer previsões. Há pouco menos de um ano estávamos todos falando sobre a importância da Inteligência Artificial e muitos setores resistiam de alguma forma à automatização. Veja como agora está se tornando um processo básico se você deseja que seu negócio sobreviva...


A pandemia fez com que todos percebêssemos que a Transformação Digital está aqui, não como uma tendência, mas como uma necessidade e que devemos aceitar e nos adaptar. Na minha opinião, o trabalho futuro será pautado pela automação e digitalização e agora mais do que nunca acredito que a remotização veio para ficar.


Na minha opinião, uma competência principal que precisamos trabalhar é a nossa resiliência. Organizações resilientes são mais capazes de responder às interrupções e se adaptar rapidamente às mudanças.

A comunicação é outra competência essencial e necessária, e não significa ter toneladas de e-mails ou preencher o dia com videoconferências consecutivas, mas encontrar uma forma eficaz de se comunicar e manter todos conectados e não ocupados com chamadas de vídeo intermináveis ​​ou inúteis.


Outra área crítica a ser desenvolvida tem a ver com a ética e a necessidade dos líderes de se fazerem perguntas críticas sobre o impacto ético e até mesmo ambiental das decisões de negócios.


Muitas decisões serão tomadas com base em dados e fatos muito objetivos - provavelmente como resultado de uso de Machine Learning. Então, outra competência será a capacidade de entender e usar a IA ao mesmo tempo em que permite que a IA substitua os gerentes como tomadores de decisão, mas não os líderes como os verdadeiros formadores do futuro.


Tudo isso me conecta com uma coisa que para mim é fundamental: o futuro do trabalho é diverso.

As organizações precisarão ser mais ágeis e criativas e isso só é possível através do desenvolvimento de uma cultura realmente diversa e inclusiva impulsionada pela igualdade e não apenas pela realização de eventos isolados apenas pela necessidade de marcar uma caixa.


2. Como a Nokia vem preparando suas equipes para esse futuro?


O futuro, de alguma forma, sempre foi nosso presente. Você provavelmente já ouviu falar que na Nokia “nós criamos a tecnologia para conectar o mundo”.


Não é segredo que, ao mesmo tempo que aderimos aos mais altos padrões éticos, temos promovido a inovação para o amanhã e fornecido tecnologia hoje, tornando as empresas mais produtivas, gerando ambientes mais limpos, locais de trabalho mais seguros, economias mais fortes e tornando a vida das pessoas mais enriquecedora.


A Nokia sempre teve um ambiente de trabalho flexível. O home office já era prática há muitos anos, pois estamos focados no desempenho e não no número de horas trabalhadas.


Nossa cultura é baseada em nosso valores. Esse valores sempre foram os norteadores de todas as nossas tomadas de decisão e em tudo o que fazemos.


A Nokia está totalmente comprometida em investir naqueles que assumem a responsabilidade pelo desenvolvimento das habilidades necessárias para o sucesso. Assim, podemos nos renovar e permanecermos alinhados com a cultura de alto desempenho e integridade que apóia nossa estratégia e metas de negócios.


Nós não apenas nos mantemos informados pelos nossos líderes sobre o nosso negócio, as novas tecnologias, nossas vitórias, nosso roadmap 5G, mas também revisamos e discutimos periodicamente nossos planos de desenvolvimento como indivíduos.


Temos acesso a uma enorme plataforma de soluções de aprendizagem que apóia nosso aprendizado contínuo e desenvolvimento profissional. Além de ter acesso a Programas de Coaching e Mentoring, todos temos muitas oportunidades de praticar o "learning while doing it" e o "on the job training" - tornando mais fácil aprender, executar e compartilhar o aprendizado a qualquer momento.


É assim que todos podemos falar a mesma língua, podendo falar com orgulho sobre nossos produtos e serviços, independentemente do grupo de negócios ou da função.


3. Qual é o papel dos Executivos e Líderes nesta transformação?


Na Nokia nossos líderes têm um papel importante em garantir que a gente entenda e se desenvolva para apoiar todas as iniciativas para melhorar a vida de nossos clientes e das pessoas com nossa tecnologia, sempre preparando o cenário para melhorar nosso core business, que é a conectividade e todas as atividades relacionadas a isso.


Os líderes em geral precisam realmente entender a experiência e o comportamento do cliente, suas jornadas e o impacto nos negócios que as organizações que lideram podem criar.


Tudo isso priorizando o investimento em inovação contínua e o desenvolvimento de suas equipes, porque em uma era de Inteligência Artificial são necessários pessoas mais capacitadas, diversas, bem treinadas e desenvolvidas.


Só assim suas equipes serão capazes de decidir quais dados precisam ser alimentados no algoritmo e fazê-lo "aprender", gerando tendências e possibilitando melhores decisões estratégicas de negócios.


4. Como você vê o futuro do RH?


Agora são os dados que impulsionam a tomada de decisões em quase todas as áreas e no RH não é diferente. Por meio do 'People Analytics', seremos capazes de nos concentrar nos talentos certos a serem desenvolvidos, planejar a sucessão, projetar e implementar planos de remuneração eficientes e impactantes.


Com isso, o RH pode agregar valor alinhado com a estratégia de negócios de nossa organização, ajudando os líderes a cumprir as metas e objetivos acordados.


Isso pode soar como um clichê, mas o futuro é agora, temos que nos adaptar agora, hoje, durante a crise. Se pensarmos em mudar ou desenvolver nossas habilidades após a crise, será tarde demais, pois concorrentes mais ágeis poderão já estar prontos e à frente de tudo que está ocorrendo.

Eu disse isso em alguns posts e até mesmo durante chats off-line com alguns outros colegas de RH: estamos vendo um "tempo sem precedentes". Isso faz com que o RH também precise pensar no futuro e se preparar. Não só para suportar os novos produtos e serviços que este "nova normalidade" trará, mas também os novos modelos de negócios e as novas formas de trabalhar que vão surgir.


5. Para que esse futuro aconteça, quais são as competências que os líderes e profissionais de RH devem focar a partir de agora?


O RH precisa transformar e tirar o máximo proveito do 'People Analytics' para se tornar mais estratégico.


Será exigido de nós sermos mais ágeis, ter um conhecimento profundo da estratégia de negócios e do ambiente externo, usar nosso networking, sermos mais flexíveis, corajosos e aprender a trabalhar com dados.


Também precisaremos explorar as competências críticas que os funcionários precisarão para colaborar digitalmente e estar preparados para alinhar as estratégias de 'Employee Experience' com esta nova realidade.



Se você curtiu esse post, também poderá curtir esses:

Os 3 pilares de transformação do RH

Clique aqui para acessar.


3a temporada completa da série "5 perguntas sobre o futuro".

Clique aqui para acessar.


2a temporada completa da série "5 perguntas sobre o futuro"

Clique aqui para acessar.


1a temporada completa da série "5 perguntas sobre o futuro".

Clique aqui para acessar.

Não perca mais nenhum post da FUTURO S/A!

Receba seus posts diretamente em seu email. É só clicar aqui.


Conheça o nosso livro!

Faça o download grátis das primeiras páginas clicando aqui.


Saiba tudo que a FUTURO S/A faz.

É só clicar aqui.


Quer mandar uma mensagem pra gente?

É só clicar aqui.

FALE CONOSCO

Todos os direitos reservados © 2019-2020

FUTURO S/A

  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Spotify ícone social