top of page
Buscar

Por que continuam existindo péssimos líderes nas empresas?



Nem todos os líderes são ruins.

Mas são um problema comum.


Uma pesquisa da McKinsey revelou que, nos EUA, 75% das pessoas relataram que seus líderes eram a parte mais estressante do dia de trabalho.


Então por que as empresas contratam, promovem e mantêm tantos líderes péssimos?


Seguem algumas razões.

E também algumas estratégias para solucionar esse problema.


Motivo 1: Tornar-se líder é a única opção de crescimento na empresa.


Muitas pessoas que hoje estão em posições de liderança não gostariam de ser supervisores ou gerentes. Elas só estão lá pois tornar-se líder é a única opção de crescimento em diversas organizações.


A sua empresa continuará tendo um número enorme de péssimos líderes enquanto se tornar um líder for a única opção de crescimento das pessoas.



Motivo 2: Falta de critérios claros para contratar e promover líderes.


A forma mais rápida de fazer uma empresa fracassar é contratar, manter e promover líderes que não deveriam fazer parte da sua empresa.

O que significa ser um ótimo líder na sua empresa?

E um péssimo líder?


O que faz um líder ser contratado?

O que um líder ser demitido?


Você pode ter uma resposta para essas perguntas.

Mas será que a resposta seria a mesma em todos os níveis da empresa?


Se eu fizesse essas perguntas para os Diretores, Gerentes e Funcionários de diferentes áreas na sua empresa, teríamos as mesmas respostas?


Veja esse exemplo interessante da Amazon.

Saiba como os Princípios de Liderança da Amazon definem quem é contratado, promovido e demitido na empresa.



Motivo 3: As pessoas não aprendem como liderar ANTES de se tornarem líderes.


A maior parte dos líderes só recebem algum tipo de treinamento APÓS se tornarem líderes.


Isso faz com que muitos acabem aprendendo por tentativa e erro. Ou copiando os mesmos modelos de liderança que aprenderam em sua carreira.


Se esse líder teve a sorte de ter tido bons líderes, ótimo. Mas se esses líderes tiveram péssimos gestores, eles poderão simplesmente perpetuar um modelo de gestão ineficiente...


Nem todo mundo sabe como liderar. E a maior parte desses líderes não sabem o que é esperado de um líder em sua empresa.


A melhor estratégia para promover a cultura que a sua empresa precisa é desenvolver seus líderes ANTES e DURANTE sua trajetória de gestão de pessoas.


Motivo 4: Treinamentos ruins.


Bilhões são gastos pelas empresas em treinamentos para seus líderes.

Apesar de tanto investimento, o desafio da liderança ruim continua.


E por que isso acontece? Já falei um pouco sobre esse tema no material "TOP 10 erros na contrução de Programas de Lideranças".


Resumindo o problema em uma frase: "Os treinamentos de liderança, em geral, são muito mal desenhados, genéricos e desconectados dos desafios reais que os líderes têm no dia a dia".



Motivo 5: Péssimos líderes são tolerados.


Cultura não é só o que é praticado na empresa.

Não é só o que é valorizado.


É também o que é tolerado.


Se péssimos líderes existem e nada é feito, isso mostra para as equipes que está "OK" ser um líder péssimo.


Se a sua organização deseja melhorar a qualidade da sua liderança, ela precisa medir a sua performance. E ser intolerante à líderes péssimos que destroem o engajamento e a performance das equipes.


Motivo 6: CULTURA, CULTURA, CULTURA!


No final das contas, estamos falando de CULTURA.


Observe claramente o que é valorizado e praticado no dia a dia da empresa.

Existem elementos na cultura que fazem esses péssimos líderes permanecem na empresa.


Foco demasiado em resultados.

Hierarquia.

Burocracia.

Politicagem.

Favoritismo.


Sem exemplos positivos, os líderes que passam a ser contratados e promovidos passam a repetir os comportamentos negativos dos líderes atuais.



Tudo isso cria um ciclo que drena a energia e os resultados da empresa.

Mas como resolver esse desafio?


Muitas empresas recorrem a ações de treinamento, team buildings, coaching..., mas como você pode observar, é preciso um conjunto mais amplo de ações para transformar a cultura de uma organização.


Para saber mais, vale a pena a leitura do post abaixo.

Ele contém várias dicas sobre como fazer essa transformação acontecer.


E se você quiser conhecer alguns cases de transformação de nossos clientes, é só clicar aqui.



Escolha seus líderes com sabedoria.


Eles se tornarão os exemplos REAIS de comportamentos e atitudes na sua empresa.

E influenciarão a cultura e os resultados da sua empresa.


Quando a Apple decidiu contratar John Sculley como CEO, a empresa perdeu o seu DNA inovador e quase foi à falência.



A promoção de Satya Nadella como CEO da Microsoft em 2014 revitalizou a empresa, desenvolvendo uma nova cultura e multiplicando por mais de 7 vezes o seu valor de mercado desde então.


Hoje o valor de mercado da empresa é de impressionantes US$ 2,5 trilhões.


O impacto de uma liderança não é só de CEOs. Vale para líderes de qualquer nível e qualquer área de uma organização.

Um líder de RH com um perfil mais estratégico pode transformar a atuação do seu RH e gerar um super impacto no negócio. Outro, com perfil mais tradicional, pode tornar a área super operacional e com menor impacto para a empresa.


Um líder de finanças pode ter um modelo de gestão do século passado e fazer com que talentos deixem a empresa. Ou ser um líder que inspire as pessoas e se tornar um imã de talentos.


Um líder de marketing pode acelerar a velocidade de inovação. Ou ser um líder preso a estratégias desconectadas com a necessidade dos clientes hoje.


Escolha seus líderes com sabedoria.

Eles influenciarão a cultura e os resultados da sua empresa.


Se esse post pode ser útil para alguém na sua rede, compartilhe! :-)

 

Sobre o autor


André Souza é fundador da FUTURO S/A, empresa que ajuda a realizar transformações na Cultura, na Estratégia e no RH de grandes empresas.


Nos últimos 20 anos, André atuou como Executivo de RH liderando equipes e projetos na América Latina, EUA e Europa em grandes organizações como Bayer, Monsanto, Coca-Cola Company, Newell Brands & Nokia.


André é formado em Administração pela UERJ e Mestre Acadêmico em Administração de Empresas pela PUC-Rio. Além disso, possui Certificação Internacional em “Futures Thinking & Foresight” pelo Institute for the Future em Palo Alto, na Califórnia (EUA).


André é autor de 3 livros:




0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


FALE CONOSCO

Obrigado pelo envio!

bottom of page