"Pai, porque eu preciso de professor?"

Era um dia como outro qualquer. Cheguei em casa e comecei a conversar com o João, meu filho, na época com 4 anos, sobre o seu dia na escola, o meu dia no trabalho... Papo vai, papo vem, quando de repente o João me solta o petardo:


Pai, porque eu preciso de professor?


A pergunta do João, apesar de extremamente provocativa, não poderia ter vindo em momento mais propício. No dia seguinte, eu faria uma Palestra exatamente sobre "Desenvolvimento na Era Digital"...


E acabei estruturando toda a palestra com base nesta pergunta poderosa do João.


Ficou muito claro com a pergunta do meu filho sobre o modelo mental da nova geração... Na cabecinha dele, com apenas 4 anos, ele já questionava o modelo de ensino-aprendizagem criado há centenas de anos...


É claro que a minha resposta para ele foi a da valorização do professor. Da sua importância para o seu desenvolvimento. Do quanto é complementar à educação e aos valores que são desenvolvidos no dia-a-dia, com a família.


Por outro lado, me fez refletir muito sobre elementos relacionadas à nossa vida profissional.


Por exemplo:


Em nosso papel como líderes e como profissionais diante dessa Revolução que já acontece bem na nossa frente.


No papel do RH e na forma com que os Treinamentos vão precisar mudar, indo muito além da sala de aula - que, a propósito, deverá ser muito mais um ambiente de discussões, debates e práticas.


E do nosso próprio auto-desenvolvimento nesse novo contexto. Na disciplina que precisaremos ter para nos desenvolver, de alguma forma, TODOS os dias.


E no meio de toda essa incerteza com velocidade exponencial o que MENOS vamos encontrar são respostas claras e absolutas para os desafios que teremos pela frente.


Não vai dar pra dar um Google para saber as soluções para os desafios de um mundo incerto, complexo, ambíguo e totalmente imprevisível.


Nao vamos conseguir dar as respostas de forma tão fácil para os desafios, interrelações e possibilidades que as novas tecnologias vão nos proporcionar.


E isso vai demandar uma mudança em nosso modelo mental. Precisaremos reaprender a ser exploradores de possibilidades, descobridores de oportunidades.


Algo que nossos antepassados sempre fizeram muito bem, mas que bloqueamos nos últimos 200 anos... 


Mas criamos o modelo industrial, massificado, previsível, repetitivo para criar produtos iguais para todos.


Esse modelo industrial gerou impactos na forma como aprendemos: disciplinas separadas, que não se conectam e nao se relacionam, o professor fala, dá as respostas, o aluno memoriza e repete as mesmas respostas na prova...