top of page
Buscar

#Tendência 5: "Aprendizágil"​ - A transformação no desenvolvimento de pessoas, equipes e líderes.



* Este texto faz parte do Relatório "Megatendências 2023" produzido pela FUTURO S/A.

 

A forma como consumimos conteúdos e nos desenvolvemos mudou radicalmente nos últimos anos.

As pessoas hoje seguem centenas, milhares de perfis nas redes sociais. Passamos horas em frente à tela acessando uma quantidade gigantesca de informações em diferentes formatos, habituando o nosso cérebro a estímulos rápidos e frequentes.


Atualmente, se não curtimos um conteúdo, simplesmente passamos para o próximo. Se um vídeo por algum momento não nos interessa, avançamos para a parte que seja mais útil. Se algum perfil não nos agrega mais valor, deixamos de segui-lo.



Até a nossa forma de se comunicar no dia a dia influencia o nosso cérebro... uma das piores consequências que as velocidades 1,5x ou 2x do Whatsapp está provocando é a impaciência com os diálogos comuns - aqueles da vida real no dia a dia.


Para quem usa o 2x de forma constante, a percepção do mundo real é a de que está todo mundo falando de forma mais lenta.


Se pararmos para refletir, estamos diante de um novo comportamento das pessoas com relação a forma como aprendem e como querem aprender. Porém, a maior parte dos formatos de desenvolvimento que existem parecem que ainda não acompanharam esse movimento...




Já é possível perceber uma demanda crescente por profissionais e líderes por ações de desenvolvimento com formatos mais flexíveis, de curta duração, além de um contato mais próximo com mentores que já tenham resultados concretos para os desafios que eles possuem no dia a dia (o chamado 'skin in the game').


Por consequência, isso está fazendo com que programas de longa duração, excessivamente teóricos, com linguagem muito acadêmica e com professores sem experiência prática estejam perdendo espaço.


E isso ficará ainda mais evidente com o crescimento e amadurecimento das novas ferramentas de I.A. A tendência é que, em pouco tempo, a I.A. provoque uma revolução na pedagogia e na andragogia.


Ferramentas como o ChatGPT já ligaram o sinal de alerta nas universidades e escolas, que já perceberam que precisarão reformular suas disciplinas.


Já há um movimento nas instituições mais tradicionais de começar a focar mais em atividades relacionadas aos 'human skills' como criar soluções para desafios em grupo e apresentações orais.


Na verdade, já há um movimento de mudança acontecendo...

Ethan Mollick, Professor de Inovação e Startups da renomada Wharton University está realizando uma experiência fantástica utilizando o ChatGPT como parte integrante de suas aulas. Vale a pena conhecer (e acompanhar) esse experimento.



O lado sombra dessa tendência é a potencial perda da capacidade das pessoas de se aprofundarem mais nos conceitos e nos princípios de um tema... Muita gente hoje, por conta de tantos estímulos, não consegue ler um livro por completo. Alguns amigos até dizem que já têm dificuldade para ler artigos um pouco mais longos...

Em um mundo onde textos e vídeos de curtíssima duração se tornaram a fonte de informação de tantas pessoas, você tem uma oportunidade única de se diferenciar indo na direção oposta: estudar artigos, ler livros e assistir a vídeos que poucos hoje têm “paciência” para se aprofundar.


Em 2019, escrevi um pouco sobre isso nesse texto.



O fato é que as mudanças de comportamento na sociedade estão criando uma tendência de busca por uma abordagem mais prática e objetiva no que se refere ao desenvolvimento - sobretudo no mundo corporativo.


Todo esse movimento vai mexer, por consequência, com o modelo de Educação Corporativa nas empresas. Muitas Universidades Corporativas e Áreas de Treinamento também precisarão reformular suas estratégias para que consigam atender às necessidades de desenvolvimento das pessoas e de suas empresas daqui para a frente.


E dependendo de como essa transformação for conduzida, esse é um movimento que pode ultrapassar as fronteiras da Educação Corporativa. É algo que tem potencial para transformar até a maneira como os líderes e suas equipes trabalham, aprendem e se desenvolvem.

Em uma era onde o estagiário pode saber mais de um assunto do que o seu Diretor, ter uma empresa com esse aprendizado mais ágil permite que esse desenvolvimento ocorra de maneira informal, no dia a dia, em 360o, fluindo em todas as camadas da organização, independente da hierarquia.


É possível aproveitar esse momento para produzir uma verdadeira revolução nas estratégias de treinamento e desenvolvimento nas empresas.

 

* Este texto faz parte do Relatório "Megatendências 2023" produzido pela FUTURO S/A.


Acesse aqui ou clique na imagem abaixo para baixar gratuitamente o Relatório Completo (34 páginas) com as 5 tendências sobre o futuro do trabalho, dos negócios e das empresas.


 

Sobre o autor


André Souza é fundador da FUTURO S/A, empresa que ajuda organizações a realizarem transformações em suas estratégias e ações de RH.


Nos últimos 20 anos, André atuou como Executivo de RH liderando equipes e projetos na América Latina, EUA e Europa em grandes organizações como Bayer, Monsanto, Coca-Cola Company, Newell Brands & Nokia.


André é formado em Administração pela UERJ e Mestre Acadêmico em Administração de Empresas pela PUC-Rio. Além disso, possui Certificação Internacional em “Futures Thinking & Foresight” pelo Institute for the Future em Palo Alto, na Califórnia (EUA).


André é autor de 3 livros:




0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


FALE CONOSCO

Obrigado pelo envio!

bottom of page