5 lições que o surf me ensinou sobre Carreira e Negócios

À primeira vista, a gente pode achar que Surf e Trabalho não tenham nenhum tipo de conexão. Mas a verdade é que eles são parecidos em diversos aspectos: adaptação rápida a mudanças, experimentar, assumir riscos...


Muito mais do que um esporte, o surf é uma filosofia de vida, que tem me proporcionado muitos ensinamentos e reflexões. Em especial com relação ao Futuro do Trabalho, dos Negócios e das Organizações.



Aprender a surfar sempre foi um dos meus sonhos de menino. Como todo carioca, sempre fui à praia, via os surfistas realizando suas manobras e sempre achei tudo aquilo fantástico.


Mas só fui realmente colocar as mãos (ou os pés!) em uma prancha aos 29 anos de idade. E eu, melhor do que ninguém, posso afirmar que o fator idade pesa na curva de aprendizado em um esporte onde a idade média dos iniciantes é de menos de 10 anos de idade.


É muito difícil descrever as emoções que temos no mar. São altas doses de adrenalina ao descer uma onda, apreensão quando você toma uma "vaca" e paz completa quando você está simplesmente sentado na sua prancha no balanço das ondas e contemplando a natureza à sua volta.


Lição 1: Adaptação rápida às mudanças


No mar, você está sujeito a mudanças bruscas e inesperadas que exigem adaptação rápida. De repente, as ondas podem ficar maiores. Ou elas podem se formar alguns metros antes ou após a sua posição original. E não dá para reclamar com ninguém.


No mar não tem "change management".


Você tem que observar, identificar o que está acontecendo e se adaptar rapidamente às mudanças. Se você não estiver muito atento ao que está acontecendo ao seu redor, você e sua prancha podem ser literalmente engolidos pela mudança.


Nos negócios e em nossas carreiras sabemos que a situação já é e continuará sendo muito parecida nos próximos anos. Novas tecnologias, práticas, novos produtos, novos gestores e novos processos estão surgindo.


Se você não se adaptar às mudanças, você se tornará um profissional obsoleto, perdido no meio de todas as novidades e sem condições de competir com outros profissionais.


Ou seja, as novas "ondas" que estão surgindo no mundo dos negócios podem literalmente te jogar pra fora da praia - quero dizer, do mercado...


Até empresas que são historicamente reconhecidas por seus resultados já estão percebendo que o mundo está mudando - e bem rápido.


Em uma entrevista super recente, o lendário Jorge Paulo Lemann (Inbev, Kraft Heinz, 3G Capital...) trouxe um depoimento bem interessante após participar de uma Conferência sobre "Estratégia e liderança em uma época de ruptura":


Eu sou um dinossauro apavorado, especialmente depois dessa conferência. Eu assisti a um painel sobre alimentos ontem, e eles só falaram em novos produtos e novas formas de produzir alimentos. Depois fui a outro painel, sobre inteligência artificial, e todos falaram muito sobre análise de dados e coisas assim.

E Lemann continuou suas reflexões sobre a necessidade de mudança em suas empresas....