Contratar olhando para o passado ou para o futuro?

Com mudanças tão grandes acontecendo no mundo, vale a pena continuar contratando profissionais da mesma forma que fazemos há tantos anos?



Recebemos e analisamos os currículos.

Conversamos com os potenciais candidatos sobre o que a pessoa fez, sua história profissional, seus resultados...

Focamos toda a conversa no que a pessoa fez.

Falamos mais sobre o passado.


E falamos pouco, muito pouco sobre o futuro.

Falamos pouco sobre o potencial daquele profissional.

Daquele talento que nunca ninguém descobriu.

Sobre as competências que a pessoa já está desenvolvendo e que serão importantes para o seu negócio.

Da sua capacidade em desenvolver novas competências.


Ou da sua visão de futuro sobre a sua empresa.

Sobre o segmento em que a sua empresa atua.

E, principalmente, de que forma essa pessoa irá resolver alguns dos desafios que a sua organização terá no futuro.


Não podemos achar que olhar o que a pessoa fez nas suas experiências anteriores não seja importante. É super importante.


Mas olhar apenas para o presente e para o passado (normalmente o que reflete o currículo) é insuficiente para capturar todo o potencial e possibilidades de um profissional. Limita a nossa visão.


Em especial em um mundo onde tudo muda muito rapidamente.


No cenário que vivemos hoje, é muito mais importante contar com profissionais que tenham a capacidade de aprender MUITO rápido. Até porque as Universidades não estão mais dando conta de formar profissionais para para a Era Digital.


Eu já contratei muita gente que não tinha os requisitos tradicionais para ocupar alguns cargos. Pessoas que não tinham exatamente a experiência. Que nunca tinham trabalhado com aqueles desafios. Mas tinham coisas mais difíceis de encontrar:


Muito talento para aquela posição (mesmo que a pessoa nem soubesse que tinha).

Muita garra para superar desafios.

Altíssima capacidade de aprender rápido.

E aquela vontade grande de fazer e acontecer.


Coisas que não são possíveis de identificar em um currículo.


E só dá para descobrir potencial e esse olhar para o futuro quando a entrevista formal se transforma em uma conversa genuína entre duas pessoas. Sem papo fake. Sem perguntas óbvias.


E funciona ainda mais quando temos a oportunidade de conhecer esse profissional. Por isso, é importante que a liderança tenha um olhar atento aos profissionais dentro e fora da sua empresa. E saber identificar talentos que não estão claros nem pela própria pessoa.


Já aconteceu algumas vezes de convidar um profissional para uma oportunidade e a própria pessoa nem acreditar.


"Mas, André, eu nunca criei um programa de desenvolvimento."


"Mas, André, eu não tenho experiência em Gestão de Talentos."


"Mas, André, como eu vou fazer isso? Não há benchmarcks de outras organizações que estejam fazendo isso no momento..."


Desenvolver potencial também é nosso papel como líderes. E para essa transição é importante capacitar essa pessoa para transformar potencial em desempenho consistente. Mas o fato é que em desafios desse tamanho, qualquer pessoa vai precisar suar muito para arrebentar! Mas, não é isso que fez a gente se desenvolver ao longo da nossa carreira?


Mas e o papel dos profissionais nesse processo?


Primeiro, é importante perceber que tudo isso passa pelo autoconhecimento. Você conhece profundamente o que te move? Conhece os seus talentos, suas fortalezas e o que torna único? E o que demonstra na sua história a sua capacidade de fazer coisas diferentes, de se desafiar, de buscar o novo e de aprender coisas novas sempre?


Você conseguiria explicar em detalhes o que você está fazendo para se tornar MUITO BOM naquilo que a sua profissão atual vai se TORNAR?


É tarefa sua de ter as respostas para todas essas perguntas. Senão, vc terá uma missão bem difícil de identificar e demonstrar o seu potencial em uma conversa.


E você pode fazer tudo isso em seu trabalho atual. Criando relacionamentos dentro e fora da sua área. Se você é da área de RH, quantas vezes nas últimas semanas você já tomou um café com alguém de Marketing ou Vendas? Se você é de Vendas, quantas vezes você já conversou com o time de criação de Produtos e Serviços?


Essas oportunidades são ótimas para as pessoas conhecerem você e sobre a sua marca profissional. Além de ser muito bom para vc conhecer outras áreas que vc jamais teve contato... Vai que vc identifica ali, naquela nova área, o trabalho onde você será espetacularmente bom nos próximos anos? Ou se aquela pessoa que você conheceu em um café venha a indicar você para o melhor trabalho que você terá na sua vida? Já falei sobre isso em um texto sobre o poder das conexões.


E se vc não estiver trabalhando em uma empresa e estiver buscando recolocação? Como você vai demonstrar tudo isso para a nova empresa que você vai trabalhar?


Além de tudo que descrevi acima, busque aprender coisas novas sempre. Plataformas gratuitas hoje não faltam (busque pelo Coursera e o Edx no Google). E outras tantas de investimento baixo (Udacity, por exemplo). Leia livros. Prepare-se para o que a sua profissão já está se tornando e para o que vai se tornar.


Se as pessoas que você conhecia parecem ter desaparecido do mapa, conheça pessoas novas. Tem uma galera muito boa no LinkedIn. Pessoas que trabalham na sua área atual ou na área que você deseja atuar. Comente seus posts, crie relações, faça parte da conversa!


Fuçe no Google sobre cursos livres de boa qualidade e com investimento que não seja proibitivo para quem está com o orçamento mais apertado. Vá a lançamentos de livros dentro e fora sua área.


E, em paralelo à sua busca de sua recolocação, comece já a tentar vender sua expertise de alguma forma para o mercado. E não necessariamente em forma de um emprego tradicional. Venda sua expertise. Aquilo que vc é MUITO bom. Venda seus produtos. Venda seus serviços. Venda para o condomíio ou quarteirão que vc mora. Depois para o seu bairro, E depois para a sua cidade. Mostra aquilo que falei lá no início do texto:


Sua garra para superar desafios.

Sua altíssima capacidade de aprender rápido.

E aquela vontade de fazer e acontecer.


Isso será importante quando você contar na sua futura entrevista tudo que vc vêm fazendo. Mas, por outro lado, vai que você começa a ter resultados, passa a gostar muito do que você está fazendo e isso se torna o seu trabalho daqui pra frente...


Se você for o recrutador, não se limite ao passado e às competências técnicas.


Não se limite ao passado. Busque a ESSÊNCIA do candidato. Converse sobre sua história, seus resultados, da sua formação, mas fale também dos seus sonhos. Do seu futuro. Do que ele ou ela desejam fazer na vida. Do que essa pessoa sabe fazer de melhor, Do que faz os seus olhos brilharem.


Até porque os desafios do futuro serão BEM diferentes do que esses profissionais tiveram no passado.


Saia do lugar comum nas entrevistas. E ensine aos líderes na sua organização a como fazer o mesmo.


Histórico profissional e de alto desempenho anterior é muito importante, mas vá além. Apresente um desafio REAL que aquela função terá nos próximos anos. Pergunte a esse profissional como ele resolveria esse desafio e entregaria resultados.


E então, contratar olhando para o passado ou para o futuro?


Então, a pergunta não é se precisamos contratar olhando para o passado OU para o futuro. Precisamos contratar olhando para o PASSADO E PARA O FUTURO.


Seu futuro ainda não foi escrito. Nem o de ninguém.

Então, não vamos nos limitar a falar sobre o passado.


Vamos aumentar nosso interesse pelo futuro.

E desenvolver um olhar que vá muito além do currículo.


Um abraço e até a próxima!

FALE CONOSCO

Todos os direitos reservados © 2019-2020

FUTURO S/A

  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon