top of page
Buscar

Como transformar a cultura da sua empresa em um imã de talentos.



Você trabalharia em uma empresa altamente exigente, com uma cultura perfeccionista e de entrega de resultados extraordinários?


No vídeo baixo de apenas 20 segundos, o CEO da NVIDIA deixa claro como é trabalhar na empresa.


Alguns vão concordar com esse jeito de trabalhar. Outros vão discordar. Mas mostrar a realidade da cultura de uma empresa traz muitos benefícios - tanto para a empresa quanto para as pessoas.


Dá uma olhada:





PARA AS PESSOAS: você vai saber de cara se é o tipo de empresa que você gostaria de trabalhar ou não.


Se uma cultura como essa não é o seu perfil, você nem vai perder tempo aplicando para uma vaga nessa empresa.


PARA AS EMPRESAS: A empresa vai ATRAIR exatamente as pessoas que concordam e que se identificam com a sua filosofia de trabalho.


Ao mesmo tempo, a empresa REPELE de imediato quem não concorda com essa forma de trabalhar.


***


A CULTURA ATUA COMO UM IMÃ E COMO UM REPELENTE


Ou seja: a cultura, quando é comunicada de forma autêntica e genuína, tem o poder de atuar como uma imã e como um repelente.


🧲 Um imã para atrair os talentos que se conectam com esse jeito de trabalhar.


❌ e um repelente de pessoas que não curtem essa cultura.


***


Os problemas acontecem exatamente quando esse posicionamento sobre o que é realmente praticado na empresa (que é a sua cultura real) não é claro.


Toda empresa quer se posicionar como um "excelente lugar para trabalhar".


Mas é importante ter clareza de um ponto: uma empresa não será um ótimo lugar para trabalhar para QUALQUER profissional.


Veja mais nesse meu artigo que postei há alguns meses aqui no Blog.

Clique aqui ou na imagem para acessar o conteúdo:




Um exemplo claro dessa forma clara de se posicionar é o da empresa Hulu, uma das pioneiras em streaming de vídeo dos EUA junto com a Netflix.


Antes de iniciar a operação do Hulu, Jason decidiu dedicar boa parte do seu tempo em definir claramente qual seria a cultura da empresa.


E uma das coisas era exatamente a CLAREZA do posicionamento da empresa.


Seu objetivo? Atrair os talentos alinhados à filosofia e modelo de gestão da empresa.


Nesse vídeo de apenas 1 minuto, Jason Kliar fala sobre como eles desenvolveram isso...


Vale o Play!



No final das contas, a lição é a seguinte:

não queira mostrar algo que a sua empresa não é.


Quando o assunto é cultura, o nome do jogo é #autenticidade.


Quanto mais autêntica for a empresa sobre a sua cultura, maiores as chances de se tornar um IMÃ de talentos que curtem a sua filosofia e jeito de trabalhar.


 

Se você curtiu esse post, você também vai curtir esses:




Sobre o autor


André Souza é fundador da FUTURO S/A, empresa que ajuda organizações a realizarem transformações em suas estratégias e ações de RH.


Nos últimos 20 anos, André atuou como Executivo de RH liderando equipes e projetos na América Latina, EUA e Europa em grandes organizações como Bayer, Monsanto, Coca-Cola Company, Newell Brands & Nokia.


André é formado em Administração pela UERJ e Mestre Acadêmico em Administração de Empresas pela PUC-Rio. Além disso, possui Certificação Internacional em “Futures Thinking & Foresight” pelo Institute for the Future em Palo Alto, na Califórnia (EUA).


André é autor de 4 livros:


FUTURO S/A (esgotado)




0 comentário

コメント


FALE CONOSCO

Obrigado pelo envio!

bottom of page